Crônicas do Agora | Tudo sobre filmes e séries
Image default
  • Home
  • Crônicas
  • Aos Mestres com Carinho, uma homenagem aos professores
Crônicas

Aos Mestres com Carinho, uma homenagem aos professores

“Era uma vez”: expressão temporal que indica uma ação iniciada no passado e ainda em processo. E esta história parece ter um fim. Um dia será chegada a hora de dar adeus aos pais, exemplos, inspirações e amigos em tempo integral. Durante anos vocês são o chão, pilares e teto. Vocês fazem da educação um lar. E não importa de onde viemos, pertencemos ao lugar que nos sentimos mais amados. E quanto amor é possível sentir ao cruzar o mesmo caminho que tão nobres seres humanos.

Após longos anos de vivência com essas grandes figuras, é preciso agradecê-los. Vocês são parte de cada pessoa que tem a chance de serem tocados por sua sabedoria. Cada ensinamento, conselho, lição de vida ou até brincadeira, tudo faz com que seus alunos se tornem quem eles nasceram para ser. Se a humanidade for capaz de ser melhor, tenham certeza que essa habilidade está diretamente ligada aos senhores e senhoras, amados mestres.

Educação. Difícil missão de vida de poucos. Os paladinos da humanidade. Mestres, doutores, poetas e artistas do saber. Pais são aqueles que nos ensinam os modos, o que é certo e errado, como agir, como ser uma pessoa do bem. Professor é aquele que aplica as lições dos pais na vida. Professor é pai e mãe em tempo integral. Vocês são os produtores de cidadãos. Ou melhor, os produtores de humanos. Num momento onde o mundo mais precisa de compaixão, humanidade e cuidado, vocês não titubeiam em sua árdua tarefa de ensinar-nos a viver.

E mesmo com todas as injustiças, a falta de sensibilidade e, como diria o Professor Raimundo, o salário que está cada dia menor, vocês continuam a fazer o que amam. E meus caros, como o fazem com esplendor. E é claro que vocês sabem muito bem o quão excelente são, mas é necessário lembrá-los sempre. Se algum dia algum dia vocês já duvidaram de seu papel como educador, desista dessa ideia estúpida porque – e perdoem a franqueza – vocês só poderiam estar loucos ao questionarem se estão fazendo o que nasceram para fazer.

Parafraseio um personagem que muito gosto para retomar a ideia da mensagem neste dia. “A vida é curta. Incerta. Cabe a nós aproveitar cada momento que temos sorte de poder ter com pessoas que temos sorte de poder amar”. Professores são os amantes do saber e o resto da humanidade são os seus pupilos, tentando aprender lições de amor e conhecimento. Vocês serão eternizados na memória de todos. Amados mestres, o que está guardado na memória nunca deixará de existir porque, como já disse Oswaldo Montenegro, metade de nós é amor e a outra metade também.

_

+ LEIA OUTRAS CRÔNICAS AQUI

Related posts

A importância de nadar contra a corrente

Gi Marques

Quarta-feira de cinzas também tem cor (um ode aos clichês)

Gi Marques

Sabe, eu também quero que me ame nos dias ruins

Tayná Rudge
Compartilhar26
Twittar
Compartilhar
26 Compart.